12 de setembro de 2014

Processo-Thumbelina

Esse último ano do curso, foi meio louco porque eu estava envolvida com dois freelas meio grandes, então eu tive que sacrificar minha dedicação a alguns projetos.Mas ainda assim alguns projetos consegui me dedicar mais, e fazer o que eu pretendia durante o curso, que era me dedicar/experimentar mais as técnicas tradicionais
Se alguém que vir isso me segue em alguma rede social, pode ter visto que recentemente eu postei uma série de ilustrações da Thumbelina.  Foi um dos últimos trabalhos do meu curso, que eu acho que eram para o módulo de "Ilustração Criativa". Nós tínhamos alguns contos dos Hans Christian Andersen para escolher, e criar 5 ilustrações referentes a história (não precisava ser voltada para o público infantil). Uma das dicas que eu ouvi muitas vezes dos professores, e outros profissionais que nos visitaram, foi se temos algum interesse em ilustrar histórias sequenciais (tipo livros e quadrinhos) era legal escolher histórias dessas clássicas para re-interpretar no nosso estilo - muito útil no caso de pessoas como eu, que não escrevem histórias. Como essas histórias já são conhecidas, a pessoa consegue reconhecer e interpretar a nossa ~visão~ mais instantaneamente - o que é util no mercado porque afinal quem trabalha com essas coisas recebe mil exemplos de trabalho por dia. A professora desse módulo foi para a feira de Bologna (maior feira de livros infantis do mundo) e trouxe alguns exemplos MARAVILHOSOS de clássicos ilustrados. A própria Cosac Naify tem umas edições lindas dos Irmãos Grimm, e fábulas de Esopo. (To só esperando receber pra comprar!).

Uma das coisas que eu gostava nos trabalhos, era que eles sempre tinham uma série de exigências, que nos forçavam a tentar seguir um processo. Muita gente fazia tudo em outra ordem, e choravam, achavam um absurdo interferir na INSPIRAÇÃO DO MOMENTO, mas eu pessoalmente acho que seguir esses requisitos ajudou muito na minha organização/disciplina. Claro que eu nem sempre aplico nos meus trabalhos do dia-a-dia. Nem sempre dá tempo, nem sempre compensa, mas sempre que aparece um trabalho mais longo e mais legal eu tento ser mais calma no processo de criação - e mesmo nos trabalhos mais corridos eu acabo aplicando algumas coisas. 

Falando da Thumbelina agora: eu acabei escolhendo essa história, porque eu gostei da idéia de trabalhar com FLORES. Apenas por isso. Re-lendo a história eu fiquei extremamente entediada o quanto a Thumbelina é carregada de lá pra cá, e não fala absolutamente nada. Infelizmente não tive idéias melhores de como mudar isso, mas decidi na minha interpretação fazer o rosto dela mais expressivo nas cenas. Eu decidi trabalhar com aquarela, porque é uma técnica que : eu gosto, porém nunca tiro o tempo necessário para usar (e nesse caso o projeto me obrigou). Ainda assim algumas das ilustras eu acabei apressando, e não estiquei o papel direto, e ENFIM. Como nem ligo para os puristas da aquarela, eu usei um pouco de guache branco para realçar. Pj Lynch faz isso então tá liberado. 

A ilustração inical, foi a que eu me dediquei mais, então em ordem: rascunho/tentativa nº1 e a final.

Estudinhos da menina

Cogitando a cena que ela é sequestrada pela sapa fedida
Mais estudos de cena


                                                                Rascunhos que acabaram definindo as finais

O processo nem tinha nada de muito complicado: Primeira etapa ler a história, e selecionar as cenas que achamos mais marcantes. Pesquisar versões de outros artistas, para comparar idéias e para ver o que pode ser feito de novo,etc. Fazer "thumbnails" (rascunhos toscos e super pequenos apenas para começar a criar opções de composição), ai escolher as opções melhores e partir para os rascunhos grandes/ fazer estudo de cores/estudo de técnica e arte final. Na verdade não tem nada que ninguém não conheça, mas fazer isso repetidamente, e seguindo prazos como eu comentei antes me ajudaram muito na disciplina! (O que a gente entregava como processo quase valia tanto quanto o trabalho final). Antes eu era muito apressada, tinha mania de desenhar correndo e colorir correndo, mas hoje em dia eu penso muito mais sobre o desenho.

Depois que eu defini bem os rascunhos passei a limpo para um papel vegetal, e transferi com aquela técnica super moderna de riscar o papel trás e redesenhar por cima para passar para o papel final. Não vou entrar em detalhes sobre a aquarela porque não é minha especialidade risos. 

Assim que voltei para o Br, decidi tentar fazer um livrinho virtual com as ilustras e quem quiser ver está aqui e as ilustras finais aqui


No fim essas ilustras foram meus trabalhos escolhidos para a exposição de final do ano do meu curso!

                                           Eu não lembro de quem eu roubei essa foto, mas agradeço!!!


E meus professores sempre diziam quando a gente queria pular as etapas, que valia a pena o resultado e ter esse material guardado depois: e verdade eu acho mais ~compensador~.





Um comentário:

Eliana Maria disse...

Adorei conhecer seus trabalhos. Parabéns. Você tem muito talento.